Automóveis: Por que essas máquinas são tão amadas?

Se existe uma paixão mundial, com certeza é a por automóveis. Independente do lugar do mundo, desde o surgimento do primeiro veículo com motor criado por Karl Benz em 1885, o homem nunca mais abandonou essas máquinas.</h2>

É fato que essa invenção revolucionou a história por ser um meio de transporte que possibilitou mais agilidade entre as distâncias e favoreceu o desenvolvimento econômico global.

Mas os motivos de tanta empatia ultrapassam esses limites e são explicados de várias maneiras. Inclusive pela Psicologia, que relaciona esse amor por carros ao desejo por velocidade, liberdade e poder.

Segundo a Psicologia, a identificação do ser humano com aumtomóveis é tamanha a ponto das pessoas projetarem suas personalidades neles.

E não importa ter um, dois, vários ou nenhum carro. Independente de serem  ou não donas de veículo, as pessoas cultuam essas máquinas. Mesmo que seja através de uma coleção de miniaturas ou de canecas personalizadas com carros estampados.

Amor por carros surgiu antes do carro

Isso mesmo. Para a ciência, a figura mitológica do Centauro pode ser comparada ao primeiro protótipo do que um dia seria o automóvel.

O ser com tronco de homem e corpo de cavalo era veloz, potente e servia Marte, o deus da guerra.

O centauro da antiguidade também era arrogante e violento.  Traços de personalidade que hoje são usados para estudar o comportamento de motoristas no trânsito.

Para a Psicologia, as características do Centauro se encaixam com perfeição em motoristas que não respeitam regras de trânsito por considerarem-se potentes e blindados por suas máquinas motorizadas.

Além disso, o centauro fazia muito barulho para intimidar seus adversários durante as batalhas. Então, qualquer relação com o ronco de motores não seria mera concidência…

Evolução leva à personificação

Ter uma identificação com o próprio carro é uma das questões mais consideradas ao comprar um veículo. Principalmente por aquelas pessoas que realmente são apaixonadas pelos motorizados.

No entanto, sejam os automóveis máquinas modernas e cheias de tecnologias, como os carros da Fórmula 1, ou aquelas relíquias dignas de museu, todos têm espaço garantido nos corações de motoristas e admiradores.

E nada de ir associando este  comportamento com coisa do sexo masculino, pois a sociedade mudou e, apesar de algumas diferenças de percepção, homens e mulheres têm escolhido veículos juntos  para que atendam as necessidades de toda a família.

Como eles x elas amam seus carros?

No universo de apaixonados por carros existem algumas curiosidades que diferenciam o coportamento de homens e mulheres. Especialmente,  na forma como escolhem e mantém seus veículos.

Logicamente, eles são mais aficionados. Tanto que não é estranho ver um homem que trata o carro como uma namorada e até dá um “apelidinho carinhoso” para o seu veículo.

Diferenças engraçadas no modo como homens e mulheres reagem sobre seus carros

  • Homens se apegam ao veículo, porque precisam experimentar o carro com todos os 5 sentidos. Já as mulheres não têm problema nenhum em trocar de carro assim que ele deixe de atender suas necessidades.
  • Homens preferem carros potentes e velozes. Mas as mulheres escolhem um modelo pela segurança e pela facilidade para estacionar.
  • Eles adoram o ronco de motores. Elas desejam veículos silenciosos.
  • Para os homens a perfeição é o cheiro de carro novo. Para as mulheres esse cheiro provoca enjoo.
  • Carro de homem é mais limpo que sua casa. Ele pode não limpar um tapete de casa, mas não suporta um tapete do carro sujo. Ela, por sua vez, mantem a casa limpa, mas não dá a mesma atenção para o veículo. Para a mulher, a casa é parte de si. O carro sujo não. É apenas sinônimo de falta de tempo.
  • No carro dele, quase nada. No dela, de tudo: bolsa, sombrinha, maquiagem, sapato, roupa…

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *